Home » » Se o receptor pirata vem do Paraguai não deveria custar menos que os receptores homologados do Brasil?

Se o receptor pirata vem do Paraguai não deveria custar menos que os receptores homologados do Brasil?

Written By AZDIGITAL on sábado, 25 de abril de 2015 | 10:15

http://www.az-digital.net/
Meia noite e trinta, resolvi ler a minha caixa de e-mails e eis que surge esta bela pergunta que até parece muito lógica:
Se o receptor pirata vem do Paraguai ele não deveria custar menos que os receptores homologados do Brasil?
A verdade é que eles custam geralmente três vezes mais que um receptor homologado da mesma categoria, os homologados ficam devendo em algumas funções que só os importados via Paraguai e China tem, mas isto é uma outra história.
Certamente quem fez esta pergunta já está beirando os 4.0, assim como eu, e se lembra da época em que existia um certo glamour em ser sacoleiro e ir buscar produtos no Paraguai, era mais ou menos a mesma coisa que acontece hoje quando a pessoa vai buscar muamba em Miami para vender aqui no Brasil, o povo achava chique.
Melhor ainda por que os produtos que vinham do Paraguai eram sempre bem mais baratos que os similares aqui do Brasil.
E continuaram a ser até 2015, agora eu não sei mais se são assim tão mais baratos.
Mas voltando ao nosso ponto de vista, o nosso leitor deve ter pensado nesta lógica de comparação de equipamento e preço cobrado no Brasil de altos impostos e na muamba do Paraguai sem imposto algum.
Mas o que ele não levou em consideração ao fazer quase uma reivindicação de preços menores para os receptores piratas vindos do Paraguai, ou pelo menos o alinhamento com os preços dos receptores digitais aqui no Brasil, é que quando se comprar um receptor de satélite vindo do Paraguai, não se está comprando apenas o hardware, como é o caso dos receptores de satélite homologados vendidos aqui no Brasil.
Ao comprar um receptor de satélite homologado a pessoa compra somente o equipamento e o fabricante e o vendedor não podem garantir e nem estarão preocupados se o comprador vai conseguir captar com aquele receptor sinais abertos das emissoras que ele deseja assistir. Não há garantia de que as emissoras estarão com os seus sinais abertos nos satélites para aquele receptor que você está comprando.
E este aviso de sem garantias de sinal aberto vem no manual de instrução de todos os receptores homologados vendidos no Brasil.
Ou seja, é um aviso do tipo: o equipamento nós vendemos mas o sinal aberto do canal que você quer assistir é problema seu.
Já o receptor pirata vindo do Paraguai é na verdade um produto com “benefício agregado”, ou seja, é mais que o hardware.
Quando você compra um receptor pirata o vendedor está lhe vendendo, além do hardware, a garantia de que aquele receptor vai abrir uma quantidade X de canais codificados que são transmitidos através de um determinado satélite.
Este benefício agregado tem o seu valor cotado em moeda, e é claro, você paga para se beneficiar deste serviço.
Está certo que neste caso a “garantia soy yo”, mas há uma certa confiança que não pode ser quebrada entre o produto, vendedor e o cliente.
Desta forma o preço do receptor que entrou no Brasil via Paraguai, duplica e até triplica em relação ao que a loja pagou para ele vir da China, e torna este receptor três vezes mais caro que um receptor homologado no Brasil.
Nem por isto as pessoas param de comprar estes receptores, não é mesmo.
E os receptores homologados também estão vendendo muito bem, obrigado!
E agora que eu pensei um pouco neste assunto é que me atentei para o fato de quem nem o receptor pirata e nem o receptor homologado garantem nada.

0 comentários:

Postar um comentário

Google+

Google+

-

seguir por email

Postagens populares